PROGRAMA MAIS ATENDERÁ COMUNIDADES DO MARANHÃO



O Adapta Group visitou na semana do dia 7 a 11 de Outubro quatro comunidades do município de Barreirinhas e Rosário, no estado do Maranhão.

As comunidades serão atendidas pela metodologia MAIS do Adapta Group, com a finalidade de implantar sistemas agroflorestais para aumentar a produtividade, simplificar, e acelerar as atividades da agricultura familiar, através da substituição de processos manuais por processos mecanizados.

O desafio é aumentar a rentabilidade dos produtores com sustentabilidade ambiental, e, para isso, o Adapta Group montou uma equipe técnica que será responsável pelo acompanhamento das áreas atendidas.

Marcelino, comunidade quilombola, conta com uma vasta produção de arroz. Contudo, traz uma grande dificuldade para o produtor: todos os processos são manuais. Desde a limpeza da área, até a colheita e transporte do alimento, tudo é feito a mão. Isso gera um gasto energético muito grande, além de trazer fertilizantes químicos de fora para dentro, que resultam em desgaste do ambiente e custos altos.

Durante a visita do Adapta no plantio de arroz, foi constatada a necessidade de usar maquinários e implementos simples para solucionar esses problemas. Juntamente, será necessário implantar uma arborização parcial para evitar falta de recursos que surgiriam no longo prazo. Essas ações contarão com o apoio de técnicos e, principalmente, com a ajuda dos agricultores locais.

Já Santa Cruz e as comunidades de Barrerinhas, também quilombola, são comunidades que produzem mandioca e frutas. Na plantação de mandioca em sistemas agroflorestais, será aproveitada a copeira local e a mata existente para evitar a técnica tradicional do “corte e queima” e mecanizar a preparação da área o máximo possível. Mas a intensificação produtiva está mesmo na produção frutífera, para fornecer matéria prima para duas fábricas de polpas.

A principal ação do Adapta quanto a frutífera será organizar a cadeia dos produtores do plantio em sistemas agroflorestais, desde o processamento, a organização da logística, até o acesso ao mercado, de modo que sustente a fabricação das polpas.

Além disso, serão criadas unidades demonstrativas com 120 produtores dos sistemas agroflorestais e da agricultura regenerativa que serão implantados.

Esse é um projeto que o Adapta Group estará desenvolvendo no Maranhão, e em sua jornada, ainda atenderá a comunidade de São Miguel, pertencente ao município de Rosário. Qualquer que seja o desafio, o Adapta Group encontrará uma solução sustentável.